Dentisteria

E se não substituir um dente - Médico dos Dentes

E se não substituir um dente?

Atualmente, mais de metade dos Pacientes que apresentam falta de dentes naturais não possuem nenhum dente de substituição. Uma ideia errada e que contribui em larga medida para esta estatística é a de que o problema é meramente estético. De facto, muitas pessoas ainda não foram informadas dos efeitos devastadores que a ausência de dentes pode ter na sua boca. Vejamos, então, o que pode acontecer:

O QUE ACONTECE AOS RESTANTES DENTES?

Para melhor entendermos o processo, imaginemos que perdemos um dente de baixo. Ora, se não o substituirmos, o que vai acontecer é que o dente de cima vai começar a descer, à procura do dente que já não existe, na tentativa de restabelecer o equilíbrio. A esta característica dos dentes dá-se o nome de “erupção passiva”. Simultaneamente, os dentes vizinhos também vão começar a mudar de posição, deitando-se para ocupar o espaço deixado pelo dente que saiu e desalinhando a estrutura dentária.

QUAIS SÃO AS CONSEQUÊNCIAS?

Por causa desta reação dos dentes, para além dos efeitos a nível estético, a falta de um único dente é o suficiente para gerar um conjunto de outros problemas, num efeito de bola de neve com consequências drásticas para a sua saúde oral. Eis algumas das possíveis consequências:

  1. Má nutrição – Não possuindo a dentição completa, é mais complicado mastigar alguns alimentos, o que pode restringir os nutrientes a que o Paciente tem acesso.
  2. Gengivite – A alteração do posicionamento dos dentes vem dificultar uma higienização diária adequada, favorecendo a acumulação de placa bacteriana e podendo facilmente levar a inflamações na gengiva.
  3. Mordida alterada – O desalinhamento dos dentes pode alterar a oclusão.
  4. Dores de cabeça – Como resultado das alterações na mordida, podem surgir várias dores de cabeça.
  5. Perda de osso – Quanto mais tempo passar sem substituir o dente, mais osso o Paciente pode perder.
  6. Dificulta os tratamentos – Por diminuir a quantidade de osso, não substituir os dentes pode atrasar os tratamentos com próteses e implantes dentários, sendo necessário recorrer a um enxerto ósseo.
  7. Disfunção temporomandibular – Uma vez que a alteração das forças mastigatórias pode sobrecarregar a articulação entre a mandíbula e o crânio (articulação temporomandibular).
  8. Sensibilidade dentária e cáries – A erupção passiva, por expor os dentes e a sua raiz, pode causar sensibilidade dentária e originar cáries mais facilmente.
  9. Perda de outros dentes – Por fazer com que mais dentes se desprendam do osso, estes acabam por ganhar mobilidade, ficando irreparáveis.

O QUE SE DEVE FAZER?

A mensagem é clara: se perdeu um dente, opte por substituí-lo o mais rapidamente possível. Se não o fizer, quando finalmente decidir tratá-lo, é provável que o problema já tenha tomado proporções ainda mais sérias, complicando os tratamentos clínicos.

Substituição de dentes - Médico dos Dentes

Atualmente, existem várias soluções ao seu dispor que repõem os dentes em falta e lhe devolvem a saúde, a função e até a estética de um dente natural. Por isso, se tem falta de dentes, não incorra em riscos desnecessários: fale com o seu médico e descubra a melhor opção para si.

clínica dentária Médico dos Dentes Amoreiras

Clínicas Médico dos Dentes vão ser renovadas

Há 16 anos a fazer parte da vida dos portugueses, o Médico dos Dentes quer estar cada vez mais próximo dos seus pacientes, e continuar a oferecer o melhor de si aos seus Sorrisos. Por isso, até ao início de Abril, os espaços das 9 clínicas laranjas, distribuídas de norte a sul do país, estão a ser requalificados

O que vai mudar nas clínicas Médico dos Dentes?

Numa iniciativa a cargo do Departamento de Infra-estruturas, as obras de requalificação prevêem:

  • Gabinetes médicos ainda mais equipados e preparados, para que possam tratar do sorriso dos seus pacientes ainda com mais qualidade;
  • Espaços com uma estética renovada, e uma nova cara. Tudo para que os seus pacientes se sintam em casa;
  • Conservação dos espaços existentes permitindo melhorar as funcionalidades dos mesmos.

O que exigiu este projeto?

“Este foi um projeto que procurou sempre respeitar a identidade da marca. E exigiu ainda a realização de vários estudos, a fim de se obter o melhor funcionamento de cada espaço. Em algumas unidades prevê-se uma reabilitação quase total. O que requereu um planeamento prévio exaustivo para evitar constrangimentos ao funcionamento das clínicas Médico dos Dentes. Tudo foi pensado para que tanto os pacientes, como as equipas clínicas, possam retirar o melhor do que estas obras irão proporcionar”, afirma Dina Castro, arquiteta e Diretora de Infra-estruturas da marca.

Qual o objetivo das requalificações?

Com o objetivo de proporcionar ainda um maior conforto aos seus pacientes e equipas, o Médico dos Dentes procurou valorizar os espaços, e dar-lhes uma nova vida. Com intervenções que vão permitir elevar o padrão de qualidade das Clínicas Médico dos Dentes.

Pretendemos acrescentar valor a todas as clínicas: na qualidade, na confiança e no bem-estar que é transmitido, não só aos Pacientes, mas também a todos os colaboradores que fazem parte do universo Médico dos Dentes.” – Conclui Dina Castro.

nova imagem das clínicas Médico dos Dentes

Siga as clínicas Médico dos Dentes no no Facebook e Instagram e fique por dentro de todas as novidades da marca laranja.

Beber chá escurece os dentes - Médico dos Dentes

Beber chá escurece os dentes?

A aparência dos dentes é um assunto que tem despertado cada vez mais interesse junto dos Pacientes. Para evitar que a superfície dentária fique manchada ou amarelada, é frequente procurarmos informação sobre os efeitos que os alimentos e os seus pigmentos podem ter na nossa saúde oral. Neste sentido, um dos temas mais falados é o chá: será que escurece os dentes?

MITO OU REALIDADE?

A ideia de que o chá escurece os dentes não é um mito. Ainda que sejam frequentemente vistas como uma alternativa mais saudável, a verdade é que as características destas infusões acabam por escurecer mais os dentes do que o próprio café.

COMO SÃO CRIADAS AS MANCHAS?

De um modo simples, tanto o café como o chá contêm três elementos que desempenham funções importantes no escurecimento dos dentes: ácidos, taninos e cromogéneos. Ora, quando ingerimos uma destas bebidas, estas três substâncias trabalham em conjunto para produzir manchas nos dentes. Neste processo, os dois primeiros elementos (ácidos e taninos) servem, sobretudo, para tornar os dentes mais suscetíveis ao efeito do terceiro (cromogéneos). Assim, os ácidos enfraquecem o esmalte, tornando-o mais macio e poroso, e, dessa forma, fazem com que os efeitos dos restantes elementos nos dentes sejam mais rápidos e intensos. Já os taninos (também conhecidos por estarem presentes nos vinhos) ligam-se muito facilmente à superfície dos dentes e, por isso, contribuem para que outras substâncias façam o mesmo e causem mais estragos. Perante este cenário, os cromogéneos vão aderir aos dentes e, como alteram a sua cor quando são expostos ao ar, acabam por sofrer alterações e originar manchas na superfície dentária.

QUAL É A DIFERENÇA ENTRE O CAFÉ E O CHÁ?

Se tanto o café como o chá apresentam ácidos, taninos e cromogéneos, por que razão é que o chá escurece mais a dentição? O poder de escurecimento do chá deve-se, sobretudo, ao facto de possuir níveis mais elevados de taninos. Deste modo, embora o esmalte possa ser desgastado de igual forma (por possuir uma quantidade de ácidos semelhante), o café não facilita o trabalho dos cromogéneos com a intensidade com que o chá o faz e, por isso, não mancha tanto os dentes.

O QUE DEVE FAZER?

De entre os vários chás disponíveis no mercado, podemos destacar o verde, o preto e o mate como os tipos que mais mancham os dentes. Contudo, o chá também possui vários benefícios para a sua saúde e, portanto, não é necessário deixar de consumi-lo. Em vez disso, sugerimos que tenha em atenção alguns dos seguintes cuidados que o ajudam a evitar que a criação de manchas seja tão eficiente:

  1. Escovar os dentes – Uma das formas de evitar um escurecimento dos dentes é escová-los regularmente. Se o fizer pouco tempo depois de beber chá, poderá ser ainda mais eficaz.
  2. Diminuir o consumo – Embora não precise de abdicar completamente do consumo de chá, se o beber com moderação pode ajudar a evitar manchas significativas nos seus dentes.
  3. Evitar os chás mais escuros – Para além de beber chá com moderação, sempre que possível, opte também pelas opções mais claras.
  4. Misturar chá com leite – Adotar o hábito inglês pode neutralizar a capacidade de escurecer os dentes.
  5. Beber água – Beber água depois do chá pode ajudar a diminuir a quantidade de taninos na sua boca.
  6. Procurar soluções branqueadoras – Se quiser remover manchas dos seus dentes, também pode avaliar junto do seu médico os tratamentos disponíveis e que melhor se adaptam ao seu caso.
Beber chá escurece os dentes? - Medico dos dentes

Agora que já conhece um pouco melhor a forma como o chá escurece os seus dentes, poderá consumi-lo de forma mais informada e responsável. Seja qual for a sua dúvida, lembre-se que pode sempre procurar informação credível junto do seu médico e que essa é a única forma de garantir que cuida da sua boca em todos os aspetos do seu dia-a-dia.

Branqueamento dentário - Médico dos Dentes

Branqueamento dentário em casa é possível?

Os branqueamentos dentários são bastante procurados pelos Pacientes, na tentativa de melhorar a estética dos seus dentes. Existem vários remédios caseiros para fazê-lo, mas nem sempre são os mais aconselháveis. Os tratamentos recomendados e acompanhados por profissionais podem ser feitos de duas formas: em clínica ou em casa. 

EM QUE CONSISTE O BRANQUEAMENTO DENTÁRIO EM CASA?

Sim. Habitualmente considerada a primeira escolha, esta é uma técnica que requer um maior compromisso por parte dos Pacientes e, simultaneamente, uma supervisão atenta dos médicos dentistas.

Como o próprio nome indica, neste caso, o branqueamento é realizado em casa, normalmente durante a noite. Sendo aplicado com um gel de peróxido de carbamida ou hidrogénio e com o auxílio de moldeiras, este método tem a desvantagem de ser um pouco mais demorado, proporcionando uma mudança gradual da cor dos dentes.

E O BRANQUEAMENTO NO CONSULTÓRIO?

Nos tratamentos realizados em clínica, o procedimento é totalmente realizado por um médico dentista.

Em primeiro lugar, são tomadas as precauções necessárias para proteger as gengivas e secam-se as superfícies dentárias. Depois, é aplicado um gel que será o responsável pela ação branqueadora. Para além disso, em certas situações, poder-se- -á fazer incidir uma fonte luminosa nesse produto, para tornar o processo mais rápido.

De um modo geral, este tratamento é mais rápido, mas também um pouco mais caro, sendo utilizado, sobretudo, quando o Paciente apresenta alguma dificuldade em utilizar a moldeira corretamente ou pretende maior rapidez no branqueamento.

O QUE SE DEVE FAZER?

Ambos os tratamentos têm vantagens e desvantagens, pelo que apenas uma análise completa por parte do médico poderá ditar qual o mais indicado para si. Na verdade, a recomendação até poderá passar por uma combinação dos dois métodos.

Como é feita a extração dos dentes do siso - Médico dos Dentes

Seja como for, não se esqueça que quando realizados sem a orientação de um profissional, estes tratamentos podem transformar uma simples intervenção estética em problemas bastante sérios. Por isso, caso pretenda realizar um branqueamento dentário, consulte sempre o seu médico dentista e garanta o resultado que deseja, sem riscos associados.

Médico dos Dentes - Dentes do siso

Como é feita a extração dos sisos?

O tratamento dos dentes do siso é um dos temas que mais dúvidas suscita, junto dos Pacientes. Apesar de nem sempre serem retirados, uma das principais dúvidas está precisamente relacionada com o processo de extração. Sendo que, por vezes, estes molares não nascem completamente, será que a sua remoção pode ser feita usando o método mais comum (extração simples)?

O QUE SÃO DENTES DO SISO?

Os dentes do siso são os que surgem mais tarde na arcada dentária, na transição da adolescência para a fase adulta. Também conhecidos como “terceiros molares” (por serem os que se posicionam mais atrás, na boca), podem surgir nos dois maxilares (superior e inferior), num total de 4 dentes. Embora sejam bastante comuns, na realidade, estes dentes parecem estar a deixar de nascer completamente nas gerações mais novas, o que tem sido encarado como uma tendência na evolução da espécie humana.

COMO É FEITA A EXTRAÇÃO?

Caso a decisão médica passe pela extração dos dentes do siso, esse processo pode acontecer de duas formas diferentes, dependendo do seu estado de crescimento. Se estiverem completamente à vista, os dentes serão retirados com recurso à extração simples, utilizada na maioria dos dentes. Nesse processo, primeiro, os sisos são descolados do osso e da gengiva, para aumentar a sua mobilidade e, depois, removidos com maior facilidade e com a ajuda dos instrumentos médicos adequados. No entanto, se os dentes do siso estiverem inclusos, isto é, se os dentes não tiverem chegado a nascer completamente e permanecerem parcialmente cobertos com mucosa, o processo torna-se um pouco diferente. 

COMO É FEITA A EXTRAÇÃO DE DENTES INCLUSOS?

  1. Anestesia local – Inicialmente, é aplicada anestesia local na zona do dente.
  2. Incisão na gengiva – De seguida, é feito um pequeno corte da gengiva, para que o cirurgião consiga chegar ao dente.
  3. Remoção de osso e/ou odontosecção – Para que fique claramente visível, pode ser necessário proceder à remoção do osso e/ou ao corte do dente para facilitar o processo de extração.
  4. Extração do dente – Nesta fase, o dente já está pronto para ser extraído. Assim, o cirurgião usa os instrumentos necessários para descolá-lo e removê-lo, de forma semelhante ao que ocorreria numa extração simples.
  5.  Colocação de pontos – Terminada a extração, a zona é novamente fechada, sendo colocados pontos na gengiva.

EXISTEM OUTROS DENTES INCLUSOS?

Embora os dentes do siso sejam os dentes inclusos mais falados, existem outros dentes que podem não chegar a nascer completamente, como os caninos superiores e os incisivos laterais superiores, por exemplo. Assim sendo, estes dentes também poderão necessitar desta cirurgia ou de outro tipo de tratamentos no futuro. 

Como é feita a extração dos dentes do siso - Médico dos Dentes

Se possui dentes do siso, sejam inclusos ou não, marque uma consulta o quanto antes e avalie com o seu médico a necessidade de extraí-los, bem como os cuidados que deve ter.

bicarbonato de sodio branqueia os dentes - Medico dos dentes

O bicarbonato de sódio branqueia os dentes?

O bicarbonato de sódio pode revelar-se muito útil para simplificar o nosso dia-a-dia. Seja para repelir insetos, para tirar nódoas ou até para cozinhar, este produto tem variadíssimas aplicações que o tornam muito vantajoso. Atualmente, os seus benefícios estendem-se à saúde oral e há quem diga que pode ser utilizado como remédio caseiro para branquear os dentes. Mas qual será a opinião do seu dentista?

COMO FUNCIONA?

O efeito do bicarbonato de sódio nos dentes deve-se, essencialmente, às suas propriedades abrasivas. Efetivamente, quando é aplicado nos dentes, o bicarbonato pode remover alguns resíduos ou manchas causadas pelo consumo de café, chá ou tabaco. No entanto, apesar de lhes conferir uma aparência mais branca, fá-lo por polir a sua superfície externa.

Ainda que seja utilizado por muitos Pacientes, não existe um procedimento recomendado pelos profissionais para o uso do bicarbonato. Nesse sentido, quem o utiliza como branqueador caseiro, acaba por fazê-lo de diversas formas diferentes e sem cuidados especiais, o que pode trazer problemas para a sua saúde oral.

QUAIS SÃO AS CONSEQUÊNCIAS DO USO DE BICARBONATO?

Embora certos tratamentos caseiros apresentem os resultados desejados, nem sempre o fazem sem custos acrescidos para o Paciente. Como tal, antes de utilizar este método, é importante conhecer as principais desvantagens que podem advir da sua utilização:

  • Desgaste do esmalte – Devido ao seu efeito abrasivo, utilizar bicarbonato de sódio frequentemente e esfregá-lo com demasiada força pode danificar o esmalte. Dessa forma, este processo pode causar sensibilidade dentária, dor ao escovar e aumentar a probabi- lidade de contrair cáries.
  • Pode afetar as gengivas – Pelo mesmo motivo que desgasta o esmalte.

  • Não tem flúor – Uma pasta criada a partir de bicarbonato não possui flúor (que é essencial para proteger os dentes de cáries e fortalecer o esmalte), pelo que não deve substituir a pasta de dentes normal.

  • Não há um modo de utilização recomendado – Este procedimento não é aconselhado pelos profissionais.

QUAL A RECOMENDAÇÃO DO DENTISTA?

O bicarbonato de sódio faz parte da constituição de alguns produtos branqueadores e de higiene oral que, se forem bem utilizados, podem complementar os tratamentos, ajudando a remover a placa bacteriana e a combater um ambiente ácido na boca.

Se deseja remover as manchas dos seus dentes de forma segura, o melhor é recorrer ao seu dentista para avaliar os tratamentos disponíveis e identificar produtos especializados, com menos riscos associados. Para além de serem conduzidos por médicos, os tratamentos realizados em clínica atuam diretamente sobre os pigmentos que alteram a cor dos dentes e não sobre o esmalte, pelo que não são corrosivos como o bicarbonato.

Branqueamento Dentário - Médico dos Dentes

Recorde-se que obter um sorriso bonito e da cor que deseja é fácil e não deve implicar um custo na sua saúde a longo-prazo. Além disso, melhor do que branquear os dentes é prevenir ativamente que escureçam. Para tal, faça uma higienização diária e completa dos seus dentes e consulte o seu dentista, pelo menos, de 6 em 6 meses.

Como é que devo lar os dentes - Medico dos Dentes

Como é que devo lavar os dentes?

Uma higiene oral adequada é essencial para prevenir doenças no futuro e evitar os tratamentos associados. Para além disso, é a melhor forma de garantir a função plena e o lado estético dos nossos dentes. Contudo, na hora de escovar os dentes, existem muitas ideias mal formadas que acabam por influenciar negativamente a forma como o fazemos. No caso específico dos adolescentes e dos adultos, é fácil identificar os principais aspetos a ter em conta.

QUAL A MELHOR TÉCNICA?

A Ordem dos Médicos Dentistas recomenda que, para uma boa limpeza dos dentes, se adote a técnica 2x2x2:

  • Escovar os dentes pelo menos 2 vezes por dia (após o pequeno-almoço e ao deitar, por exemplo) com um dentífrico fluoretado;
  • Fazê-lo durante, aproximadamente, 2 minutos;
  • Ficar 2 horas sem comer depois da escovagem e das refeições principais.

Cada Paciente deve procurar informação personalizada para o seu caso específico.

COMO DEVE SER FEITA?

Uma boa escovagem implica 5 condições principais:

  1. Escolher uma escova macia ou média – Não escolha escovas duras. Lembre-se que escovar os dentes não significa esfregá-los a todo o custo. Se o fizer, estará a traumatizar as suas gengivas e a aumentar a probabilidade de ter problemas no futuro.
  2. Usar um dentífrico adequado – Existem inúmeras pastas disponíveis no mercado. Assegure-se de que está a utilizar a indicada para si, aconselhando-se junto do seu médico.
  3. Fazer movimentos circulares (e não horizontais) – Adotando este método e inclinando ligeiramente a escova em relação ao dente (num ângulo de 45 graus), a escovagem torna-se muito mais eficiente nos espaços entre os dentes.
  4. Escovar todas as superfícies – Devem ser feitos movimentos curtos e suaves ao longo de toda a arcada dentária. Certifique-se de que todas as superfícies dos dentes são escovadas (as internas, as externas e as de mastigação). Para além disso, tenha um cuidado especial com a linha da gengiva e não deixe que se acumule placa bacteriana nessa zona.
  5. Não se esquecer da língua – As bactéricas não se acumulam apenas nos dentes. Deve-se escovar a língua de forma suave, desde a base até à ponta, para as remover mais eficazmente e obter um hálito mais fresco.

A qualidade da escovagem depende ainda, em larga medida, do estado da sua escova: lembre-se de trocá-la sempre que esta apresentar sinais de desgaste. Normalmente, o conselho passa por adquirir uma escova nova a cada 3 meses (uma para cada estação do ano).

ESCOVAR É SUFICIENTE?

A higienização dos espaços entre os dentes não é garantida pela ação da escova. Como tal, é importante complementar a primeira etapa da limpeza com fio dentário ou escovilhões, para remover os restantes resíduos alimentares e evitar o aparecimento de cáries ou de outro tipo de doenças. Embora muitos Pacientes tenham dúvidas sobre qual deve ser o primeiro procedimento (a escovagem ou o uso do fio dentário), o mais importante não é a ordem, mas sim que não se abdique de nenhum dos passos.

Lavar os dentes - Médico dos dentes

As recomendações apresentadas neste artigo são os pontos essenciais para uma boa higiene oral e para garantir que o seu sorriso se mantém saudável ao longo dos anos. Ainda assim, cada Paciente deve procurar informação personalizada para o seu caso específico: consulte o seu médico e questione-o sobre os melhores produtos para si e sobre eventuais cuidados especiais que deva ter.

Médico dos Dentes - Mau Hálito

O que causa o mau hálito?

Tecnicamente conhecido como halitose, o mau hálito é um problema que afeta muitos portugueses, condicionando a forma como encaram o seu dia-a-dia. De facto, a ideia de que temos mau hálito pode afetar tanto a nossa autoestima, como o nosso relacionamento com os outros. Para compreendermos melhor este fenómeno, vejamos de que forma pode surgir e como é que o devemos tratar:

QUAIS SÃO AS CAUSAS DO MAU HÁLITO?

Existem mais de 80 causas associadas ao mau hálito. No entanto, para simplificar, podemos dizer que existem 2 motivos principais: os fisiológicos e os patológicos.

As causas fisiológicas estão relacionadas com o cheiro desagradável que sentimos ao acordar e podem ser facilmente resolvidas com a higiene oral. Neste caso, esse odor deve-se, sobretudo, à diminuição da produção salivar durante a noite. Sendo a saliva um constituinte essencial para a limpeza dos dentes e para o combate às bactérias, ter a boca mais seca faz com que os restos de alimentos e esses micro-organismos tenham um ambiente mais propício para atuarem e libertarem cheiros desagradáveis. Para além disso, dormir de boca aberta (uma vez que ajuda a secar a boca) e longos períodos sem comer, como acontece de noite (por levarem à libertação de vapores) também podem contribuir para o mau hálito.

As causas patológicas, por sua vez, estão relacionadas com outras partes do corpo e, por isso, são substancialmente difíceis de identificar. Problemas que afetem a garganta ou a respiração (como sinusites e amigdalites), a periodontite, doenças sistémicas (tal como a diabetes e a insuficiência renal, por exemplo), inflamações pulmonares ou do tubo digestivo, refluxo gastroesofágico e certos medicamentos são apenas alguns exemplos de complicações que podem estar na origem do mau hálito.

“Para simplificar, podemos dizer que existem 2 motivos principais: os fisiológicos e os patológicos.”

COMO É QUE SE DEVE TRATAR?

Para combater o mau hálito, assegure-se de que faz os possíveis para minimizar esta situação, no seu dia-a-dia. Entre outros aspetos, as seguintes dicas podem ser bastante úteis:

  • Faça uma higiene oral diária e completa – Utilizando todos os instrumentos recomendados pelo seu dentista e escovando também a língua.
  • Evite beber café, fumar ou ingerir bebidas alcoólicas – Uma vez que estes comportamentos contribuem para uma boca seca.
  • Não consuma alimentos demasiado condimentados – Comidas com alho e cebola, por exemplo, podem favorecer o mau hálito.
  • Mastigue pastilhas sem açúcar – Apesar de não substituírem a escovagem dos dentes, podem ajudar a retirar restos de alimentos dos seus dentes e, simultaneamente, favorecer o processo de salivação.
  • Evite jejuns prolongados – Uma vez que, como já vimos, se estiver muito tempo sem comer, o organismo pode expelir alguns vapores.
  • Beba chá verde – Estudo científicos provam que as propriedades deste tipo de chá têm um efeito antibacteriano e ajudam a combater temporariamente o cheiro desagradável da boca. Contudo, lembre-se que o consumo regular desta bebida também pode pigmentar os seus dentes.
  • Beba bastante água durante o dia – Para manter a boca hidratada.
Médico dos Dentes - Causas do mau hálito

Seja como for, se suspeita que pode ter mau hálito, o melhor é visitar o seu médico dentista rapidamente. Em clínica, e utilizando os meios de diagnóstico adequados, os profissionais poderão não só identificar com exatidão a causa do seu problema, como iniciar o tratamento mais adequado para resolvê-lo. Não adie mais, cuide da sua boca e melhore a sua qualidade de vida.

Medico dos dentes - o seu dentista

A Saúde é sua. Os Custos são Nossos.

A Saúde Oral é um componente crítico para a saúde geral em todas as idades. Por isso, pela sua Saúde, no seu Médico dos Dentes disponibilizamos na sua primeira consulta dentária um check-up médico completo. Este é um modo de saber e avaliar com detalhe as necessidades da sua Saúde Oral e o primeiro passo para ajudar os nossos pacientes a recuperar de forma completa todas as funções da sua boca.

ESTA CONSULTA TEM COMPROMISSO?

Não. A primeira Consulta Médica Dentária não tem qualquer compromisso para os Pacientes. Pois, a Saúde é Sua. Mas os Custos são nossos.

Queremos ajudá-lo a superar todas as barreiras na recuperação da sua Saúde Oral. Por isso, além de uma Consulta de Avaliação sem compromisso, caso decida trata-se numa Clínica Médico dos Dentes disponibilizamos ainda um plano de tratamento com pagamentos fracionados e ajustados às suas necessidades. Sem comprometer o seu orçamento familiar.

O QUE INCLUI A CONSULTA DE AVALIAÇÃO?

Todos os custos da sua primeira consulta serão suportados pelo Médico dos Dentes. Esta consulta inclui:

  • Diagnóstico Médico Completo (Saúde, Função, e Estética), realizado por uma equipa médica multidisciplinar;
  • Radiografia Panorâmica (também conhecida por ortopantomografia – raio-x panorâmico da sua boca);
  • Plano de Tratamento Integral (com tudo o que precisa de tratar, sem compromisso)

No seu Médico dos Dentes cada plano de tratamento é desenvolvido e pensado especialmente para si. Consoante as suas necessidades. Ficará a conhecer todos os pormenores acerca do seu tratamento na sua 1ª consulta. Receberá um Plano de Tratamento Integral sem qualquer compromisso. Nesse plano encontrará todas as orientações para recuperar completamente a sua Saúde Oral.

QUAL A CLÍNICA MAIS PRÓXIMA DE MIM?

O seu Médico dos Dentes tem ao seu dispor 9 clínicas dentárias em todo o país. Graças a esta cobertura geográfica todos os pacientes têm acesso aos melhores profissionais e a um tratamento único e totalmente personalizado.

PORQUE DEVO TRATAR-ME NO MÉDICO DOS DENTES?

O Médico dos Dentes conta com 16 anos a Sorrir junto dos seus Pacientes, sendo o mais antigo grupo de Medicina dentária em Portugal. Com mais de 100 mil pacientes tratados nas clínicas Médico dos Dentes, desde a sua fundação, em 2006.

No seu Médico dos Dentes tem ao seu dispor mais de 60 dentistas qualificados em todas as áreas da Medicina Dentária, que asseguram todos os tratamentos necessários. São equipas médicas qualificadas e experientes, nas mais diferentes especialidades da Medicina Dentárias. Preparadas para identificar e responder com as soluções de tratamento mais ajustadas ao seu caso.

Primeira consulta - Médico dos Dentes

Aproveite esta oportunidade, e marque já a sua primeira consulta, sem qualquer compromisso, num grupo com 16 anos de experiência na área da Medicina Dentária. Terá à sua disposição equipas multidisciplinares de dentistas prontas para esclarecer todas as suas dúvidas. Poderá ainda contar com meios de diagnóstico avançados para ficar a conhecer, em detalhe, o estado da sua Saúde Oral, logo na primeira consulta.

Acompanhe as nossas Redes Sociais

Fique  a par de tudo o que se passa nas clínicas Médico dos Dentes.

Médico dos Dentes - Limpar a prótese com lixívia

Limpar a prótese com lixívia faz mal?

As próteses removíveis requerem cuidados de higiene especiais e que devem ser aconselhados pelo seu médico dentista, de acordo com o seu caso específico. No entanto, muitos Pacientes continuam a ter dúvidas sobre métodos caseiros e as suas consequências para a sua saúde oral. Será a lixívia uma opção válida para o processo de limpeza?

LIMPAR AS PRÓTESES COM LIXÍVIA: SIM OU NÃO?

O uso de lixívia para limpar a prótese não está, de todo, recomendado pelos profissionais. Na verdade, existem muitos produtos específicos para próteses, disponíveis no mercado e capazes de garantir uma higiene completa de forma muito mais eficaz. Exemplo disso são as escovas e as pastas dentárias para próteses, as pastilhas efervescentes, as espumas e, na falta de melhor, até o detergente para a loiça ou o sabão neutro.

“O uso de lixívia para limpar a prótese não está, de todo, recomendado pelos profissionais.”

É RAZOÁVEL USAR LIXÍVIA NALGUMA SITUAÇÃO?

Idealmente, os produtos de limpeza não devem possuir químicos abrasivos na sua constituição, sejam eles acetonas, diluentes, álcoois ou lixívia. No entanto, caso não possua uma alternativa melhor, utilizar lixívia pode ser melhor do que não higienizar a prótese. Ainda assim, é importante reforçar que a lixívia deve ser encarada como última escolha, estando muito longe de ser a melhor opção dispo- nível no mercado.

EXISTE ALGUM CUIDADO ESPECIAL A TER COM A LIXÍVIA?

Sim. Se, excecionalmente, não tiver nenhum dos produtos recomendados e optar por utilizar lixívia, é importante que a dilua. Para tal, assegure-se de que a aplica com uma concentração máxima de 10%, isto é, misturando no máximo 1 porção de lixívia para cada 10 porções de água. Para além disso, evite fazê-lo durante mais de 10/15 minutos e, se a sua prótese tiver elementos metálicos, tenha em atenção que o uso de lixívia poderá corroer essas zonas.

Médico dos Dentes - Prótese dentária

Caso utilize uma prótese removível, siga o processo de higienização recomendado e consulte regularmente o seu dentista. Independentemente dos métodos caseiros utilizados, essa é a melhor forma de evitar problemas futuros e garantir um sorriso para a Vida.