Implante dentário: como é colocado?

A colocação de um implante dentário é uma intervenção cirúrgica segura e frequente, com uma taxa de sucesso bastante elevada.

O implante dentário é uma das soluções mais utilizadas para tratar a falta de dentes. De um modo simples, é comum dizer-se que o processo consiste na substituição da raiz do dente natural por um parafuso. No entanto, como será realmente feita essa cirurgia?

DE QUE É FEITO O IMPLANTE DENTÁRIO?

Os implantes são, essencialmente, parafusos feitos com um material biocompatível que facilita a sua integração por parte do osso: o titânio. A sua estrutura está dividida em duas componentes principais: uma rosca (que permite que seja aparafusado dentro do osso) e uma parte oca (onde são, posteriormente, encaixados os novos dentes). Embora existam diversas formas e tamanhos de implantes disponíveis no mercado, os mais comuns são cilíndricos ou cónicos, medindo entre 3,5 e 4mm de diâmetro, e entre 8 e 14mm de comprimento.

COMO É REALIZADA A CIRURGIA?

A colocação de um implante é feita através de uma pequena intervenção cirúrgica com anestesia local, sendo essa a primeira de três fases principais de tratamento:

1ª Fase – Colocação do Implante

  • Incisão na gengiva – Para tornar o osso visível e facilitar os procedimentos seguintes, é efetuada uma pequena incisão. Caso exista um dente e já não seja possível salvá-lo, o médico extrai os dentes onde serão realizados os implantes. Dependendo da situação, esta extração poderá ser feita no mesmo dia que a colocação do implante ou não.
  • Perfuração do osso – Com o auxílio de brocas calibradas e sempre sob o efeito de anestesia local, é definido um espaço de poucos milímetros no osso, para que possa receber um implante da dimensão escolhida.
  • Acomodação e proteção do implante – O implante é colocado no espaço preparado e protegido com uma tampa.
  • Sutura da gengiva – A região é novamente fechada, ficando protegida de resíduos alimentares. Terminada esta parte, é necessário esperar que o osso integre o implante. O tempo de espera varia de caso para caso, mas, normalmente, a zona fica em repouso durante 3 meses e o Paciente pode utilizar uma prótese provisória nesse período.

2ª Fase – Fase protética

  • Colocação do cicatrizador – Depois do repouso, o implante é novamente exposto e é removida a tampa de proteção e colocada uma pequena peça no implante, que auxiliará na cicatrização da gengiva.
  • Registos intra e/ou extraorais – Com este passo, são recolhidas impressões e inicia-se a elaboração da coroa.

3ª Fase – Coroa Definitiva

Na terceira e última fase, recorre-se ao laboratório para produzir uma coroa definitiva (adaptada a cada Paciente) que será, posteriormente, colocada no implante.

E DEPOIS DA CIRURGIA?

O processo de colocação de implantes dentários é uma intervenção cada vez mais simples e frequente, realizada com materiais em constante evolução e fáceis de utilizar. 

Recorrendo à medicação recomendada e à anestesia local, este é um tratamento que, normalmente, não causa dor ao Paciente. No entanto, o sucesso do implante também dependerá, em grande parte, dos cuidados do Paciente após a cirurgia.

Consulta de avaliação no Médico dos Dentes da Amadora

Nesse sentido, para se assegurar de que se adapta bem aos novos dentes e de que não terá problemas no futuro, siga as instruções do seu médico, consulte-o com regularidade e não abdique de uma higiene oral diária e completa.

Partilhe este artigo

Explorar mais

Ranger os dentes: um comportamento a evitar
Dentisteria

Ranger os dentes é normal?

O hábito de ranger os dentes, designado por “bruxismo” pode ocorrer de forma involuntária, e até durante o sono, por isso passa despercebido à maioria das pessoas.

Ler mais »

SABIA QUE TEMOS 9 CLÍNICAS À SUA DISPOSIÇÃO?